Follow by Email

quinta-feira, 23 de março de 2017

"A Observação Social na Luta Contra a Pobreza e Exclusão Social. A Experiência de Estudos Longitudinais Qualitativos"





AMANHÃ na Fundação Calouste Gulbenkian, vai falar-se da importância da Observação Social no combate à pobreza e exclusão social.

Com a presença de oradores nacionais e internacionais, que nos vêm trazer a sua experiência em estudos longitudinais, será também apresentado o trabalho e os respectivos instrumentos que o Observatório de luta contra a Pobreza na cidade de Lisboa tem desenvolvido ao longo dos últimos 10 anos.

A apresentação sobre o trabalho desenvolvido durante estes 10 anos pelo Observatório de luta contra a Pobreza na cidade de Lisboa, vai ser efectuada por Sérgio Aires e Catarina Cruz.
É já amanhã, dia 24 de Março, no Seminário Internacional "A Observação Social na Luta Contra a Pobreza e Exclusão Social. A Experiência de Estudos Longitudinais Qualitativos".

Da Universidade de Barcelona vêm Laia Folguera e Jordi Caïs.
Tendo passado pela Universidade de Berkeley, Essex, London School of Economics e Universidade de Harvard, as áreas principais de investigação de Laia Folguera são a sexualidade e masculinidade. O tema da sua intervenção é “Quando a masculinidade hegemônica é desafiada: processos de desvio e controle social”.
Jordi Caïs, Doutorado em Sociologia, é leitor sénior no Departamento de Sociologia da Universidade de Barcelona. É autor de vários livros sobre metodologias e técnicas de investigação social, sendo especialista em metodologia comparativa e longitudinal. Vem falar ao seminário sobre “A dinâmica da solidariedade familiar intergeracional: mudar o foco do indivíduo para a família”.

Jeff Karabanow vem do Canadá para nos falar da sua experiência em estudos sobre percursos de jovens em situação de sem-abrigo.
Jeff Karabanow é professor de Serviço Social na Universidade de Dalhousie e a sua investigação centra-se principalmente sobre a estabilidade da habitação, os sistemas de prestação de serviços, a saúde na rua e a cultura de jovens sem-abrigo. Para além das inúmeras publicações académicas nesta área, realizou um documentário sobre a situação das crianças de rua na cidade da Guatemala e curtas de animação sobre a cultura de rua dos jovens do Canadá.

Pablo Ernesto Pérez vem da Argentina para nos falar sobre a pesquisa longitudinal qualitativa que desenvolveu sobre a Inserção de Jovens no Mercado de Trabalho na Região de Buenos Aires.
Pablo Ernesto Pérez é doutorado em Ciências Económicas e em Ciências Sociais e, actualmente, para além de ser professor na Universidade de La Plata (Economia) e na Universidade de Buenos Aires (Economia do Trabajo), é também investigador do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Tecnológicas (CONICET, Argentina) e director do Laboratório de Estudos em Sociologia e Economia do Trabalho (LESET) IdIHCS / Universidad Nacional de La Plata (UNLP).

Jane Millar vai ser uma das oradoras internacionais no painel “A Observação Longitudinal Qualitativa e o seu Impacto nas Políticas Públicas”, e vem partilhar a sua pesquisa actual, dedicada a um projecto qualitativo longitudinal que pretende acompanhar mães solteiras e os seus filhos por um período de, aproximadamente, 15 anos, explorando questões relacionadas com emprego, rendimento, relações sociais e qualidade de vida.
Jane Millar é professora de Política Social no “Institute for Policy Research” da Universidade de Bath. As suas áreas de investigação incluem a concepção, implementação e impacto da política social e investigação comparativa sobre política familiar, segurança social e política de emprego, com especial referência ao género e à mudança dos padrões familiares.
Jane Millar foi premiada com uma OBE (Order of British Empire), que reconhece e premeia as contribuições dadas para as áreas das artes e ciências, em Junho de 2001, por "serviços de pesquisa e ensino de política social". É membro da Academia Britânica e membro da Academia de Ciências Sociais.
Marta Santos, investigadora do Dinâmia'CET-IUL, faz parte da equipa que está a desenvolver o estudo promovido pelo Observatório, em parceria com este centro de estudos, e que se denomina “Barómetro de Pessoas em Situação de Vulnerável Social na Cidade de Lisboa”.
Esta investigação, que este ano se encontra na terceira fase, tem como finalidade compreender as dinâmicas de pobreza na cidade de Lisboa através da aplicação da metodologia de painel e de uma análise longitudinal qualitativa.
Os resultados dos dois estudos desta investigação encontram-se disponíveis para fazer download na página web do Observatório


Carlos Farinha Rodrigues, conceituado investigador na área das desigualdades sociais é, entre outras actividades que desempenha, professor no Instituto Superior de Economia e Gestão e consultor do Observatório para o projecto Índice de Precariedade Social de Lisboa.
Vai ser sobre a construção deste instrumento que irá falar no Seminário Internacional "A Observação Social na Luta Contra a Pobreza e Exclusão Social", no painel “Conhecer e medir a pobreza. Os desafios das metodologias longitudinais no conhecimento da pobreza”.

O primeiro orador do painel “Conhecer e medir a pobreza. Os desafios das metodologias longitudinais no conhecimento da pobreza”, integrado no Seminário Internacional sobre "A Observação Social na Luta Contra a Pobreza e Exclusão Social", vai ser Jordi Estivill, reconhecido investigador catalão, considerado um dos peritos internacionais em temas relacionados com a pobreza e exclusão social. O tema da sua comunicação vai ser “A origem e evolução dos estudos longitudinais sobre a pobreza”.

+ info:  observatoriopobreza@eapn.pt.

quarta-feira, 22 de março de 2017

AÇÃO DE FORMAÇÃO, Viana do Castelo


Envelhecimento Ativo: desafios e estratégias para as instituições   

Refletir nos desafios do envelhecimento e na noção de envelhecimento ativo é fundamental nos dias de hoje. O número de pessoas idosas está a aumentar consideravelmente e as projeções falam-nos no aumento da população nos próximos anos e no envelhecimento da mesma. Nunca a noção de envelhecimento ativo, tal como foi definida pela Organização Mundial de Saúde foi tão importante: Processo de otimização das oportunidades para a saúde, participação e segurança no sentido de reforçar a qualidade de vida à medida que as pessoas forem envelhecendo. São necessárias medidas políticas para lidar com esta situação, mas todos nós também temos um papel a desempenhar no processo de promoção do envelhecimento ativo, não só como cidadãos, mas também como pessoas que querem envelhecer com qualidade, numa sociedade que esteja aberta, de forma igualitária, a todas as idades.

OBJETIVO GERAL
Promover a partilha de conhecimentos e experiências de práticas e orientações que visem a promoção de um envelhecimento ativo de qualidade.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
·         Aprofundar conhecimentos sobre a noção do envelhecimento ativo e os desafios do envelhecimento na atualidade.
·         Debater os mitos ainda existentes sobre o envelhecimento e sensibilizar para as potencialidades das pessoas idosas.
·         Refletir em torno de algumas estratégias passíveis de serem colocadas em prática nas Organizações/serviços que trabalham com pessoas idosas.


DIA 21 Abril 2017                                                      
HORÁRIO 14.00h.:16.30h.
LOCAL Auditório Municipal de Ponte de Lima
INSCRIÇÃO Gratuita mas obrigatória para o seguinte contacto: servicosocial@cm-pontedelima.pt
PÚBLICO-ALVO Técnicos/as de intervenção social; comunidade em geral
DINAMIZADORA Paula Cruz: Socióloga e Técnica do Departamento de Investigação e Projetos da EAPN Portugal.


VI Jornadas de Economia Social



Dia 4 de abril | Teatro Miguel Franco | Leiria

VI Jornadas de Economia Social

Projetos sociais: da conceção aos resultados – 
o diálogo virtuoso entre financiadores e promotores

As referidas jornadas terão como objetivos:
- Dotar os/as participantes de conhecimentos e informação sobre as expetativas das entidades financiadoras e as expetativas das entidades promotoras dos projetos;
- Dar a conhecer projetos sociais apoiados pelas entidades financiadoras, considerados como boas práticas de intervenção;
- Debater ambas as perspetivas sobre o financiamento de projetos, tendo em vista a identificação de fatores que potenciem a convergência de expetativas e resultados.

Neste sentido, muito nos honraria contar com a sua presença nesta iniciativa. O programa pode ser consultado aqui.
As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até ao dia 31 de março.


A comissão organizadora:

ADESBA – Associação para o Desenvolvimento e Bem Estar Social da Freguesia da Barreira
APEPI – Associação de Pais e Educadores para a Infância
Associação de OTL do SOM
InPulsar – Associação para o Desenvolvimento Comunitário
Liga Social e Cultural Campos do Lis
Mulher Século XXI
Vida Plena – Associação de Solidariedade Social de Leiria
Rede Europeia Anti-Pobreza / Portugal, Núcleo Distrital de Leiria






AÇÃO DE FORMAÇÃO, Braga


Conceção de Projetos Intergeracionais

Numa sociedade cada vez mais envelhecida e segmentada, é necessário e urgente criar-se novos paradigmas de ação sociocultural onde há espaço para diferentes gerações se interajudarem, conviverem e crescem em conjunto, quebrando com velhos dogmas sociais limitadores e geradores de preconceitos.
Nesta formação, pretende-se apresentar uma metodologia de intervenção e boas práticas internacionais/ nacionais de projetos intergeracionais e refletir sobre riscos/vícios comuns na intervenção social /cultural limitadores ao crescimento de uma sociedade participativa para todas as idades.

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS


1.     Metodologia de projeto de intervenção intergeracional;
2.     Princípios norteadores de um projeto intergeracional;
3.     Riscos associados a conceção de um projeto intergeracional e como minimizar estes riscos;
4.     Benefícios e desafios de projetos intergeracionais; 
5.     Boas práticas nacionais e internacionais.


OBJETIVO GERAL
- Compreender o que são projetos Intergeracionais e os seus princípios norteadores.
- Saber planear, executar e avaliar um projeto intergeracional.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Adquirir conhecimento técnico sobre as diferentes fases de implementação de um projeto intergeracional;
- Conhecer ferramentas, métodos e estratégias para uma participação ativa dos diferentes públicos-alvo na implementação do mesmo;
- Identificar os riscos e erros comuns associados à conceção e execução de um projeto/ intervenção intergeracional;
- Compreender os desafios e os graus de complexidade associados ao tipo e à dimensão do projeto a implementar;
- Conhecer boas práticas internacionais e nacionais - projetos intergeracionais.

METODOLOGIAS DE FORMAÇÃO E AVALIAÇÃO
Apresentação equilibrada dos conteúdos, conciliando a vertente expositiva e o trabalho prático, com recurso a técnicas de reflexão, de síntese, trabalho de grupo e troca de experiências profissionais no grupo e desenvolvidas em organizações internacionais (via Skype). Avaliação ao longo da ação através de diferentes trabalhos de grupo.



DIA: 27 de abril e 3 de maio de 2017
HORÁRIO 09h30 às13h00 e das 14h00 às 17h30
DURAÇÃO 14 horas
LOCAL Núcleo Distrital de Braga da EAPN (Rua Ana Teixeira da Silva, n.º 34, 1º Esq., Real, 4700-251 Braga)
INSCRIÇÃO Associados da EAPN Portugal: 35€ // Não associados: 55€
PÚBLICO-ALVO Diretores(as) Técnicos(as), Coordenadores(as), Técnicos(as) superiores e outros profissionais de organizações de/com intervenção Social.
ÁREA DE FORMAÇÃO 762- Trabalho Social e Orientação
MODALIDADE DE FORMAÇÃO Formação contínua de atualização
FORMA DE ORGANIZAÇÃO Formação presencial
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO Número de ordem de receção da ficha de inscrição
CERTIFICADO DE FORMAÇÃO implica a Presença obrigatória em pelo menos 80% do total da duração da ação
FORMADORA:
Vanda Ribeiro. Formadora profissional certificada e licenciada em Animação Sociocultural. Apresenta um curriculum vasto e diversificado de experiências de trabalho em diferentes organismos sociais, culturais e turísticos, tanto nacionais como internacionais (Reino Unido).
Durante o seu percurso profissional, trabalhou em IPSS em Portugal e no Reino Unido, onde desenvolveu projetos de intervenção com crianças, jovens, idosos, etc., e em Companhias de teatro. Atualmente é empresária e gestora de uma agência de viagens, onde desenvolve programas de férias com oferta desenvolvida pela comunidade local, especializando-a, para a receção de turistas estrangeiros, inclusive, pessoas com mobilidade reduzida e seus acompanhantes. É ainda oradora em diferentes eventos nas áreas da intergeracionalidade, e do turismo acessível / turismo para todos.



INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES Ficha de Inscrição em anexo / A Ficha de Inscrição pode ser fotocopiada
Após confirmação da sua inscrição, o pagamento deverá ser efetuado por transferência bancária ou cheque (à ordem de EAPN – Rede Europeia Anti-Pobreza/Portugal, Associação).

As inscrições são limitadas a 14 participantes e devem ser realizadas até ao próximo dia 13 de Abril de 2017 para:
EAPN Portugal / Núcleo Distrital de Braga
E-mail: braga@eapn.pt
Rua Ana Teixeira da Silva, N.º 34, 1º Esq.- 4700-251 Braga

Telefone: 253 331 001 

sexta-feira, 17 de março de 2017

Semana da Interculturalidade


03 e 09 abril  | Semana da Interculturalidade 

A iniciativa visa sensibilizar todos os cidadãos para a necessidade de uma sociedade intercultural que tenha presente os valores da solidariedade, da igualdade, do respeito pela diferença e pela diversidade, de forma a garantir uma cidadania mais inclusiva e mais igualitária.
A interculturalidade, cada vez mais presente na nossa sociedade, exige um conhecimento mais aprofundado das várias culturas que integra. É através do conhecimento de outras culturas e dos contactos que temos com essas culturas que nos enriquecemos enquanto cidadãos. A interculturalidade passa assim pela aceitação e o respeito pelas diferenças. 
Apostar na interculturalidade é acreditar que se pode aprender e enriquecer através do diálogo e da convivência com outras culturas.


Em breve o programa estará disponível  aqui.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Ação de Formação, Guarda


AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO PROCESSO DE MELHORIA DAS ORGANIZAÇÕES


As pessoas são o maior ativo de qualquer organização, sendo esta afirmação ainda mais pertinente no chamado sector social, onde as pessoas, suas atitudes, competências e organização são determinantes na qualidade e sucesso das respostas sociais proporcionadas aos problemas que as comunidades, as famílias e a sociedade em geral enfrentam. A avaliação de desempenho nestas organizações é uma oportunidade de melhoria individual e coletiva, com vista a um aumento da qualidade dos serviços prestados e do desempenho das diferentes equipas e da organização como um todo. Mas gerir e avaliar o desempenho de pessoas e equipas tem que ser mais que definir objetivos e avaliar resultados. Deve ser um processo coletivo e legitimado por todos/as os/as que nele vão participar. Focar-se na aferição das condições proporcionadas para alcançar esse sucesso, na análise dos processos de planeamento e definição de prioridades e responsabilidades, na avaliação da coerência das políticas internas de Gestão de Recursos Humanos e da operacionalização das medidas planeadas.


CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS


1.   Acolhimento e apresentação de programa e formandos; Avaliação inicial de conhecimentos
2.   Avaliação e avaliação de desempenho: gestão de pessoas e equipas, modelos e tipos de avaliação de desempenho
3.   Avaliação de desempenho no setor social: modelos e práticas; processo de definição e implementação do modelo de avaliação de desempenho; ferramentas de avaliação de desempenho; métodos participativos de definição e construção de um modelo de avaliação de desempenho; definição de objetivos; momentos de avaliação de desempenho (individual e coletivo)
4.   Análise de resultados, feedback e melhoria continua







OBJETIVO GERAL // OBJETIVOS ESPECÍFICOS
·         Definir Avaliação de Desempenho;
·          Identificar os diferentes tipos e modelo de Avaliação de Desempenho
·         Compreender o processo de definição e desenvolvimento de um modelo de Avaliação de Desempenho;
·         Definir objetivos para a Avaliação de Desempenho;
·         Compreender a importância de implementar processos participativos como garante da legitimidade do processo de Avaliação de Desempenho;
·         Analisar os resultados do processo de Avaliação de Desempenho.
METODOLOGIAS DE FORMAÇÃO E AVALIAÇÃO
Abordagem pedagógica: Educação Não Formal e Entre Pares. Metodologias: ativas, expositivas e interrogativas. Avaliação: inicial, formativa e sumativa (com recurso a metodologias participativas)



DIAS  4 e 5 abril 2017
HORÁRIO 9h30 às13h00 |14h00 às 17h30
DURAÇÃO 14 horas
LOCAL Sala 66 da ESTG – Instituto Politécnico da Guarda
INSCRIÇÃO Associados da EAPN Portugal: 35€ // Não associados: 55€
PÚBLICO-ALVO Chefias intermédias, membros de direção, gestores/as da qualidade, direções técnicas, técnicos/as e coordenadores/as
PRÉ- REQUISITOS Conhecer relativamente bem a organização que representam, a sua equipa, políticas internas, os seus projetos, missão, visão e valores; Ter noções básicas de gestão das organizações e de Recursos Humanos.
ÁREA DE FORMAÇÃO 345 – Gestão e Administração
MODALIDADE DE FORMAÇÃO Formação contínua de atualização
FORMA DE ORGANIZAÇÃO Formação presencial
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO Prioridade a associados da EAPN Portugal // Número de ordem de receção da inscrição
CERTIFICADO DE FORMAÇÃO Presença obrigatória em pelo menos 80% do total da duração da ação e aproveitamento no final da formação.
FORMADOR João Mesquita - Fundador e sócio-gerente da Coatl – Consultoria para o Desenvolvimento, é licenciado em Economia e mestre em Desenvolvimento e Cooperação Internacional pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG – Universidade de Lisboa). Trabalha como formador desde 2010 e como consultor para o Terceiro Sector desde 2013 em temas como Monitorização e Aavaliação, Planeamento Estratégico e desenvolvimento e implementação de Estratégias de Angariação de Fundos, privilegiando o uso de metodologias participativas e abordagens pedagógicas não-formais e de educação entre pares. Ao longo do seu percurso profissional trabalhou com organizações como o Conselho da Europa, Alto Comissariado para as Migrações (ACM, IP), Fundação Calouste Gulbenkian, Fórum Europeu de Juventude (YFJ), EFUS – European Forum for Urban Security, Conselho Nacional de Juventude, Plataforma Portuguesa das ONGD, Médicos do Mundo, APF – Associação para o Planeamento Familiar, EAPN – Rede Europeia Anti-Pobreza), entre muitas outras IPSS, ONG, Associações Juvenis, Cooperativas e Municípios.
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES Ficha de Inscrição em anexo // A Ficha de Inscrição pode ser fotocopiada Após confirmação da sua inscrição, o pagamento deverá ser efetuado por transferência bancária, numerário ou cheque (à ordem de EAPN – Rede Europeia Anti-Pobreza/Portugal, Associação).
As inscrições são limitadas a 20 participantes e devem ser realizadas até ao próximo dia 31 de Março para:
EAPN Portugal / Núcleo Distrital da Guarda
Largo Paço do Biu, N.º 19
6300-592 Guarda

Telf: 271 227 506  | guardal@eapn.pt

Tweet connosco!



A EAPN Portugal também está no TWITER 

Siga-nos lá também! Até já!

Leiria Sem Tecto - Retratos da Invisibilidade | 31 de março


Tertúlia: 
Leiria Sem Tecto - Retratos da Invisibilidade | 31 de março | 14h| MIMO - Museu de Imagem em Movimento, em Leiria



A InPulsar - Associação para o Desenvolvimento Comunitário, em parceria com o Núcleo Distrital de Leiria da EAPN Portugal, vão dinamizar uma tertúlia: Leiria Sem Tecto - Retratos da Invisibilidade, no dia 31 de março de 2017, pelas 14h, no MIMO - Museu de Imagem em Movimento.

A tertúlia tem como objetivos: contribuir para a visibilidade do problema sem-abrigo na cidade de Leiria e fomentar uma maior articulação entre as respostas existentes; refletir sobre o conceito de pessoa sem-abrigo e as estratégias de intervenção social para a retirada da rua e apresentar o modelo do Housing First.

Trata-se de um evento que se insere no 5.º aniversário da InPulsar, e contará com a exposição de fotografias de Paulo Teixeira, de espaços em que habitam as pessoas sem-abrigo da cidade de Leiria no âmbito do projeto de fotografia humanitária Humane Focus.

As inscrições, gratuitas, podem ser realizadas aqui.

+ info:

Patrícia Grilo
Núcleo Distrital de Leiria
EAPN Portugal / Rede Europeia Anti-Pobreza
Rua Miguel Franco, lote 8, 102, loja 1 e 2
2400-191 Leiria
Tel. +00351 244 837 228 | Telem. 93 687 39 12 | Fax: + 00351 244 837 229